23.8C
Canudos, BR
sexta-feira, 29 de maio de 2020
Canudense
Aeroespacial

A França vai vender ao Qatar 24 aviões de combate Rafale.

Depois do fiasco vivido pelo Brasil em relação à compra dos Rafales, o Egito, a Índia, e agora o Qatar, também irá comprar 24 aeronaves Rafales da Dassault. 

O Presidente Francês Francois Hollande vai viajar para Doha no início de maio para assinar o contrato.

O Qatar vai adquirir 24 Rafales confirmou nesta quinta-feira passada o Elysée, que também afirma que François Hollande vai viajar para Doha em no início de maio para participar da assinatura dos contratos. Francois Hollande “reuniu-se ontem (quarta-feira) com Sheikh Tamim bin Hamad al-Thani, emir do Qatar. Este confirmou seu desejo de ver seu país adquirir 24 aviões de combate Rafale “, diz o Elysée em um comunicado . “Com este novo sucesso de exportação, o Rafale confirma suas qualidades comprovadas, na Força Aérea e pela Marinha francesas”, escreve o Elysée.

Este é o terceiro contrato ganho por Dassault  no exterior após a venda de 36 Rafales à Índia, anunciado em abril, e outros 24 para o Egito em fevereiro. É “também para as autoridades que se comprometeram por três anos, uma grande satisfação em servir nossa indústria”, de acordo com a Presidência da República.

Construído bilateralmente com a Dassault, que supervisa 60% do valor da aeronave, a eletrônica Thales (22%) e a fabricante de motores Snecma  (grupo Safran, 18%), que fornece o M-88 motor de nova geração, o Rafale destina-se para a aeronave de combate francês até 2040.

“Um orgulho para o país”, disse François Hollande

Hollande disse que a venda de 24 aviões Rafale ao Qatar é “um orgulho para o país”, mas também “uma boa notícia que confirma  também a recuperação da economia francesa”. “Este é o terceiro sucesso comercial para o Rafale”, disse Francois Hollande durante uma viagem a Brest, acompanhado pelo ministro da Defesa Jean-Yves Le Drian.

“Este é um sucesso” para a Dassault e as empresas subcontratantes “que chega ao ponto “, mas também “para o governo e a diplomacia francesa (…) É um orgulho para o país”, sublinhou o Presidente. “Durante anos, surgiram dúvidas sobre o Rafale. Talvez, estivesse ali também, a vontade de ir muito rápido com as coisas. Nós levamos o tempo necessário, a aplicação indispensável, e  fazendo que as empresas pudessem oferecer preços que pudéssemos determinar as escolhas dos países em causa “, disse Holland.

“Todos os aparelhos, 24 (Egipto), 36 (Índia), 24 (Qatar) mais as opções, é quase 100 Rafale, que podem ser entregues nos próximos anos aos países que depositaram confiança em nós. Isso é um monte de trabalho, um monte de postos de trabalho. Isso é um monte de benefícios para as regiões em causa. Esta é uma boa notícia que  também confirma a recuperação da economia francesa “, disse ainda o chefe de Estado.

 

Fonte : lefigaro

Posts relacionados

Deixe um comentário - Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

O Portal Canudense é o maior e mais completo portal de notícias, entretenimento, esporte e cultura da região. O mundo é Aqui!